TRILOGIA DO SUBTERRÂNEO
De Fiódor Dostoiévski
Direção: Roberto Lage

Os espetáculos "O Sonho de Um Homem Ridículo", "O Grande Inquisidor" e "O Subsolo", compõem a "Trilogia do Subterrâneo".
 
“As peças são extremamente contemporâneas. Apesar de terem sido escritas na metade do século XIX, elas falam diretamente para nós, é uma coisa assustadora. O protagonista tem sentimentos que se assemelham aos que vemos hoje como preconceito, raiva e ódio. Mas o bonito é justamente como isso é superado na peça”. - Celso Frateschi
"O Sonho de Um Homem Ridículo"
Retrata um personagem prestes a acabar com a própria vida até que encontra uma menina que lhe pede ajuda. Com um revolver carregado ao seu lado, ele adormece em uma poltrona e tem um sonho fantástico. Quando acorda, está transformado: percebe que sua missão na Terra é amar aos outros como a si mesmo.
"O Grande Inquisidor"
O espetáculo é inspirado em um capítulo homônimo do romance “Os Irmãos Karamazov” (1879-1880). A montagem narra a história de um cardeal da Sevilha, na Espanha, que, durante a Inquisição, queimou dezenas de hereges.
Ele está prestes a condenar Jesus Cristo reencarnado.
Enquanto espera sua sentença, o Messias permanece calado. “A discussão sobre liberdade, livre escolha e todas as coisas que Cristo inaugurou é questionada de forma violenta pelo inquisidor. Nesse diálogo, só o acusador fala; Cristo responde com o silêncio e a ternura”, explica Frateschi.
"O Subsolo"
Na trama, o personagem vive no no seu quarto de porão e, apesar das limitações, vive as mais diferentes situações e emoções.
O Subsolo é baseado no romance “Memórias do Subsolo” (1864), que apresenta um apanhado de lembranças de um homem aposentado. O livro antecipa alguns temas que aparecerão recorrentemente na obra de Dostoiévski, como a crítica à ciência, à superstição, ao progresso, à razão e ao atraso.
Ao contrário das duas outras montagens do projeto, que têm a preocupação de serem o mais fiel possível ao texto, “O Subsolo” exigiu uma edição um pouco maior. Isso por causa da extensão e da radicalidade literária da obra original. O grupo toma esse cuidado porque estuda o teatro narrativo em todos os trabalhos.
Direção: Roberto Lage
Cenários e Figurinos: Sylvia Moreira
Fotos Divulgação: Bob Sousa

 
Elenco: Celso Frateschi

Clipping

© 2017 Todos os Direitos Reservados - Ágora Teatro

CULT