© 2017 Todos os Direitos Reservados - Ágora Teatro

HORÁCIO

SINOPSE

Roma está em guerra contra Alba. Ao mesmo tempo, Roma e Alba estão sendo ameaçadas pelos etruscos. Para não enfraquecer os exércitos contra o inimigo em comum, os chefes decidem que um Horácio lutará por Roma contra um Curiácio que lutará por Alba. A irmã do Horácio escolhido era noiva do Curiácio. Mas mesmo assim os dois resolveram lutar.

Na luta, o Horácio mata o Curiácio e volta para Roma coberto de glórias, como um grande herói. A irmã do Horácio chora a perda do noivo, ignorando a vitória do irmão e de Roma.

O Horácio, então, indignado com essa atitude, utiliza-se da mesma espada glorificada por seu povo, para matar a noiva do inimigo, sua irmã. Os Romanos cessam imediatamente os festejos. Tiram a espada das mãos do vencedor e se organizam para tentar entender e julgar a atitude do Horácio, divididos entre considerá-lo um herói ou um assassino.

 

Trata-se de um espetáculo envolvente na sua simplicidade. Um tablado, um ponto de luz, uma moeda, uma máscara e um ator reduzido à menor grandeza, que concretiza em cena a dúvida e o espanto dos romanos ante as atitudes de seu mais nobre guerreiro. A beleza no essencial das palavras do texto e nos gestos do ator procura ativar a imaginação e o pensamento da platéia, colocando-a diante de questões éticas fundamentais.

Horácio é um solo de Celso Frateschi, que com este espetáculo ganhou o Prêmio SHELL de melhor atuação.

HISTÓRICO DA MONTAGEM

“HORÁCIO” é apresentado por CELSO FRATESCHI há mais de 20 anos. Em 1989 fazia parte do espetáculo “ERAS” composto por três textos do Heiner Müller: Filoctetes, Horácio e Mauser. Na década de 90 o espetáculo ganhou autonomia e já foi apresentado nos mais diversos locais: Bibliotecas, Igrejas, Salas de Estar, Escolas, Centros Comunitários, Praças Públicas e até mesmo em teatros.

Já participou dos principais festivais de teatro nacionais e internacionais sempre com grande sucesso e comunicação com a plateia. Perguntado sobre a razão da longevidade do espetáculo, Celso Frateschi responde: “HORÁCIO é uma linda história que nos provoca questões humanas profundas. Cada vez que represento, o espetáculo me revigora e me faz pensar sobre as questões do cotidiano. É como se cada vez fosse um novo espetáculo”.

Sobre sua atuação, o crítico Alberto Guzik escreveu: “E Celso Frateschi revela novamente sua dimensão especial. É um ator profundo que consegue captar a essência de Horácio transmutando-o de forma plena. O domínio corporal e o controle vocal perfeitos fazem de sua atuação um modelo de intensidade. A perplexidade que emana da obra é traduzido ao espectador de forma integral por esse artista generoso e íntegro”.

RELEASE

Acima de tudo, Horácio é uma bela história. Dessas que nos envolvem e nos fazem repensar a maneira como encaramos nossas vidas.

O espetáculo é baseado num dos textos que compunham a trilogia ERAS, montado pelo Teatro Pequeno em 1988 no SESC Pompeia sob a direção de Marcio Aurélio. Ao texto original de Heiner Muller foram acrescentados alguns fragmentos inspirados em Shakespeare (Henrique V e Hamlet), e em Brecht (Baden Baden), além de um pequeno trecho de Mauser, do próprio Muller.

FICHA TÉCNICA

Autor: Heiner Müller
Tradução: Ingrid Dourmien Koudela
Adaptação, Concepção e Interpretação: Celso Frateschi